Rio de Janeiro, Cristo Redentor; BRAZIL – 🇧🇷 | MY WALK 2022 (4K) #16

Os vídeos de WALKING são uma febre no canal e nada melhor do que colocá-los aqui no blog, essa série serão vídeos de walking, cycling e driving  por vários lugares do mundo, no vídeo de hoje iremos até ao Corcovado no bairro do Cosme Velho no Rio de Janeiro. Fique atento que serão vários locais pelo mundo.

Continue lendo “Rio de Janeiro, Cristo Redentor; BRAZIL – 🇧🇷 | MY WALK 2022 (4K) #16”

Rio de Janeiro, Sugarloaf Mountain / Walking; BRAZIL – 🇧🇷 | MY WALK 2022 (4K) #15

Os vídeos de WALKING são uma febre no canal e nada melhor do que colocá-los aqui no blog, essa série serão vídeos de walking, cycling e driving  por vários lugares do mundo, no vídeo de hoje iremos até ao Pão de Açúcar no bairro da Urca no Rio de Janeiro. Fique atento que serão vários locais pelo mundo.

Continue lendo “Rio de Janeiro, Sugarloaf Mountain / Walking; BRAZIL – 🇧🇷 | MY WALK 2022 (4K) #15”

Buenos Aires 10 anos depois..

Visão 2006

A primeira viagem internacional nunca se esquece. Assim aconteceu, após muitos anos de pesquisa e estudo da língua espanhola, decidimos (Flávia e eu) visitar os países vizinhos. A primeira parada foi em São Paulo, visitamos nossa prima e tios e, como a ansiedade era muita, resolvemos sair para aproveitar os dias da estadia. Passeamos pela 25 de Março e compramos muitos cacarecos e afins.

Três dias depois, fomos por via terrestre à Argentina com a Empresa “Crucero del Norte”, a viagem não é cansativa devido ao conforto do ônibus “coche cama” e teve duração de mais ou menos 33 horas. Eu fiquei impressionada com o ótimo atendimento da empresa se comparado ao preço do serviço (em torno de 180R$ ida), procuramos ir de ônibus pois queríamos muito conhecer o interior sulista e as províncias argentinas. Após passar por várias cidades do Paraná como Cascavel e Maringá, chegamos a Foz do Iguaçu, porta de entrada para a Argentina.

P6090013

clássico letreiro do Caminito que foi modificado em 2012.

P6110138
P6110146
Chegamos dia 09 de junho de 2006 em Buenos Aires no Terminal Retiro e foi uma grande emoção ouvir as pessoas falando em castelhano. Flávia sempre com o mapa em mãos (alguém ainda usa? Hehe) já pesquisávamos qual seria a melhor rota para irmos ao Hostel Garden House em San Telmo. Já na chegada, você se impressiona como a cidade é repleta de turistas, de pessoas indo e vindo e, ao contrário do que muitos pensam, os argentinos em sua maioria são educados e simpáticos (sobretudo com as mulheres 😂 ) e ao falar em espanhol se mostram prestativos.

Continue lendo “Buenos Aires 10 anos depois..”

E a viagem por Havana chega ao fim

Final da viagem por Havana e já nos preparativos pra próxima, infelizmente, por problemas monetários, pois ainda não sou milionária, decidimos ir para os Estados Unidos e deixar a Ásia para o ano que vem, assim podemos conhecer melhor a Tailândia e o Vietnã, ou até o Camboja.

No próximo post conto mais para onde vamos nos Estados Unidos.

Já falei muito sobre a viagem a Havana e deixo aqui só algumas considerações finais, como os gastos da viagem e o nosso pequeno roteiro. Só posso dizer que é bem complicado ficar por lá se você for muito apegado a tecnologia e internet, pois nada funciona. Ficávamos horas escutando duas rádios do governo e foi uma experiência bem diferente.

A ilha é tranquila e voltaria pra conhecer as outras cidades, com certeza. O nosso objetivo dessa vez foi conhecer Havana e como vivem os locais, e foi muito bom, conhecemos várias pessoas e a experiência de ficar em uma casa particular foi ainda mais incrível.

Lembrando que a minha viagem foi em novembro do ano passado, portanto a cotação do dólar estava a 2,5R$ mais ou menos, realmente hoje, a situação está bem mais complicada pros brasileiros viajarem para o exterior, mas mesmo fazendo um bom planejamento e juntando dinheiro é possível, pois nós já fazíamos isso lá em 2005/2006, uma época caríssima pra se viajar.

Os gastos da viagem:

Passagens: Brasília/São Paulo: 150R$ – São Paulo/Havana/São Paulo: 1,600R$

Hospedagem: 400R$ 7 dias/noites, Transporte local: 60R$ Comida: 200R$

Passeios: 100R$, Gastos: 150R$, Visto: 45R$ – Total: 2,700R$

Até logo e nos vemos no próximo Mochilão, nos Estados Unidos.

Próxima viagem: Nova Iorque e Los Angeles.

Próximos relatos: Viagens pela Inglaterra e Fotos dos Estados Unidos.

Por las Calles de Habana

Ficamos duas semanas em Havana, mas na realidade pareceu um mês, a cidade é bem tranquila, e dá pra conhecer tudo em uma semana, não são tantos pontos turísticos assim, e tudo é muito próximo! Como ficamos bem no centro, a maioria dos passeios fizemos a pé, e o restante usamos o ônibus de turismo de Havana. Gostei bastante desse passeio, assim como no México, às vezes é melhor usar esse tipo de passeio do que ficar batendo perna igual louca pela cidade.

Entre os pontos turísticos imperdíveis de Havana estão a Plaza de la Revolución, aquela onde estão os murais gigantescos do Che Guevara e do Camilo Cienfuegos. O hotel Habana Libre que era o quartel general dos comandados de Fidel Castro na época da revolução, pode até parecer piada, mas passeando pelas ruas de Havana, parece até que o tempo parou e é fácil se sentir nos anos 50/60, os carros antigos estão ali pra deixar o cenário mais real possível. É fácil contar nos dedos carros com modelos mais novos.

Em Vedado estão os hotéis mais caros e dá pra ver o famoso hotel onde foram gravadas as cenas do Poderoso Chefão, a cidade é bem decadente, mas bastante fotogênica.

Além desses, passamos pelo Capitolio, que é uma cópia minúscula da Casa Branca americana, os Museus da Revolução e das Artes, o Castillo de la Fuerza Real, que é uma fortaleza bem no meio da Habana Vieja, e é claro a Universidade de Habana!

Havana não é nenhuma Paris e Londres com inúmeros pontos turísticos, mas é sem dúvida um lugar diferenciado, pois mostra realmente a vida das pessoas que ali habitam!

Valeu muito a pena conhecer os cubanos, e a vivência desse povo tão sofrido e bastante alegre, creio eu, que até mais que os brasileiros.

Curiosidades sobre Havana e o povo cubano

Até que enfim tirei a poeira daqui e começo a postar as curiosidades da viagem pra Cuba!

Neste momento, minha irmã está em Nova Iorque e as fotos estão incríveis e fiquei com muito mais vontade de ir, mas antes de ir pros Estados Unidos, acho que muito em breve iremos à Ásia. Porém, como ainda não tenho certeza, deixo pra contar tudo, quando tudo estiver ok, assim faço alguns posts preparativos por aqui!

Assim que ela voltar de viagem, faço um “Um Relato sobre Nova Iorque”!

Só adiantando que o contraste entre Havana e Nova Iorque (ou até Miami) é estratosférico!IMG_0564

Como já tinha comentado, não postei nada “ao vivo” em Havana, pois a internet é quase inexistente na cidade. Havana me surpreendeu muito, tanto positiva quanto negativamente, e o sentimento que mais ficou aflorado, nesses dias por lá, foi o sentimento de compaixão e ilusão pelo povo cubano, que é ao mesmo tempo tão esperto e ingênuo! Cuba é um país com regime ilusório que só habita na cabeça dos comunistas do século passado!

No primeiro dia, conhecemos mais do centro – lugar onde ficamos hospedadas – mais precisamente na Calle Miguel. Ela é bagunçada ao extremo, uma zona mesmo, porém muito divertida, e está tudo muito próximo, encontram-se o Bairro Chino (bairro chinês), o Centro e o Capitolio (uma pequena cópia da Casa Branca), está tudo ali!

A Casa do David é um dos melhores lugares onde já me hospedei e até hoje sinto saudade daquele café da manhã.

Depois de bater perna pelo centro e pelo bairro chino fomos à Habana Vieja e ao bairro de Vedado (que é o mais abastado dali). Lá conhecemos várias lojinhas de discos e produtos típicos e comprei várias coisas bacaninhas sobre Havana e até outras cidades; é até engraçado, mas achei as coisas mais baratas em Vedado, próximo ao Habana Libre  que no centro próximo ao Capitolio, e inclusive no próprio Mercado de San José que fica perto do porto, e a diferença é grande, entre 2 a 3 CUCs!

E não se engane pensando que o CUC é equivalente ao dólar, ele está mais equivalente ao euro, é uma moeda muito cara. Talvez com o fim do embargo, o preço exorbitante da moeda desapareça, vamos ver.

Parecia que estávamos perdidas em alguma ilha sem contato com o mundo exterior, ou em alguma roça ou local longínquo do interior do Brasil, lugares estes que não possuem energia elétrica ou televisão. O nosso único contato era escutar as rádios Habana e Progreso, as duas rádios do governo, era como escutar a voz do Brasil ininterruptamente, uma maravilha! #SQN

Foi legal ficar 10 dias sem contato algum com Facebook, Twitter e algo do gênero, acho sinceramente que os cubanos têm uma vida mais feliz e até produtiva, percebi que eles leem muito e dão muito valor às coisas simples. Isso também é algo positivo no modo de vida da população cubana.
Antes de viajar pra Cuba eu li vários blog’s, entre eles, alguns de mulheres que viajam sozinhas e O Mundo numa Mochila do Claudiomar. O engraçado é que lendo os posts dele, não me senti nessa Cuba que ele conheceu, talvez por eu ser mulher ou talvez porque o regime já esteja muito desgastado e falo por eu ser mulher, pois, além de ser assediada por homens a cada minuto, era uma coisa insuportável.

 

Inclusive as mulheres também pegavam no nosso pé, não tivemos paz um segundo andando por Havana, acho que o único momento de paz foi no ônibus turístico, eles são incessantes.
Isso é um dos pontos negativos de se viajar por lá, apesar disso gostei muito da cidade e das pessoas em geral.
Falando mais culturalmente, eles são apaixonados por novelas. As favoritas são as mexicanas, colombianas e brasileiras, era falar que era do Brasil, e já perguntavam sobre o Rio e os atores das novelas globais. Algo como, o Rio é lindo mesmo? Como os atores vivem, eu adoro o Gianechini e coisas do gênero, era muito bom conversar com as senhoras nas praças e saber mais do cotidiano delas. E não se engane, pois os homens também são fãs, a do momento era Avenida Brasil, e eles amavam a Carminha.

 

Conversando com o David (o dono da casa particular onde nos hospedamos), descobrimos o porquê deles usarem suas casas como pensões ou utilizar o carro para tentarem ser taxistas. O dinheiro que eles ganham fazendo esse serviço por fora é quase o triplo do que se trabalhassem pro governo, o salário médio de um médico é 40$ por mês, sendo taxista ele consegue isso em algumas corridas, taí o modelo cubano que não funciona mesmo.
 
O propósito de ir a Cuba era saber como viviam as pessoas, e, como fomos antes da abertura, pudemos vivenciar realmente como os cubanos vivem, ou seja, sem nenhum tipo de luxo, imploram por uma pasta de dente ou sabonete a todo turista que se aproxima. É um país cheio de contradições que ou você se apaixona ou sai dali inconformado.

Como tinha acabado de visitar Moscou queria ver a diferença entre os dois regimes, e posso dizer que a diferença é grande, os russos têm muito mais dinheiro e luxo a sua disposição, já os cubanos.

São tantas coisas com as quais os cubanos não têm direito algum que faria qualquer brasileiro agradecer ajoelhado a todas as regalias que a gente tem acesso hoje em dia.
Apesar disso, os cubanos são cultos, leem bastante, a maioria sabe francês/ou outra língua difícil (até russo). Eles gostam de argumentar sobre política e cultura, e como muitos já sabem são ótimos esportistas, possuem um porte alto e elegante, enfim, eles possuem várias qualidades que estão sendo ignoradas pelo fato de viverem tão distanciados de outras culturas.

Aeroportos por aí, Brasília, Bogotá e Havana

Voltando com os posts minha gente! Demorei muito, mas é porque fiquei um pouco desanimada de postar, depois que mudei o domínio, o blog ficou um pouco instável e fica fora do ar várias vezes. Muitas pessoas não estão conseguindo acessá-lo, uma pena! Mas como isso aqui é uma coletânea de arquivos pessoais, continuarei postando as minhas sagas “travelísticas”! Faltou a última viagem que fiz em novembro do ano passado, Brasil/Colômbia/Cuba, na época coloquei alguns Updates e muita coisa sobre os preparativos, como fotos dos lugares e da viagem propriamente dita.
Adorei Havana, é uma cidade incrível, uma lástima que seja muito pobre. Já adianto que minha próxima viagem será aqui pela Europa, eu comecei a trabalhar em um hotel, portanto não terei férias tão cedo, porém minha próxima viagem programada, poderá ser para os Estados Unidos (a minha irmã está indo agora nesta semana pra lá), ou para  a Ásia, mais precisamente a Tailândia.

Como eu iria pra Brasília para um treinamento, decidi esticar a algum país da América Latina que não tinha conhecido, felizmente já visitei a América do Sul inúmeras vezes, mas queria muito ir a um local diferente e pouco turístico! Estava entre o México, Equador, Cuba e Costa Rica! Cuba foi a vencedora, pois encontramos preços muito bons saindo de São Paulo!
Ficamos 2 semanas, nunca tinha conseguido realmente planejar uma viagem até lá, vontade não faltava, mas sempre tinha algum lugar que gostaria de conhecer antes! O que não falta é história nesse lugar incrível, e voltando de Moscou a pouco tempo, vi que fiz a escolha certa, conhecer a história in loco é um dos meus principais pontos positivos em uma viagem!
E detalhe, que quando fomos até lá eles ainda sofriam o embargo americano, e tudo era bem complicado de conseguir, com a abertura dos Estados Unidos é provável que a vida dos cubanos melhore um pouquinho, pois falta muita coisa para a população, desde itens básicos como papel higiênico e pasta de dente, a variedade de produtos alimentícios. Sobre isso falarei mais nos posts sobre a cidade.

Falando sobre os aeroportos, o Aeroporto de Brasília, me surpreendeu positivamente, está muito mais equipado, e bem mais bonito, não perde em nada para os aeroportos aqui da Europa! Nessa semana da viagem, passei por 6 aeroportos e não aguentava mais ver aviões e esperar, mas viagem é isso aí, a mais longa foi de Amsterdã até São Paulo, de lá mais uma espera até Brasília, e isso que o meu primeiro voo tinha saído de Birmingham até Amsterdã!
Nossos vôos para Havana fizeram escala em Bogotá saindo de São Paulo, lembrando que tive que comprar uma passagem avulsa de Brasília até São Paulo! UFA! Eu sei, ficou um pouco confuso, mas foram vários vôos, paradas e esperas.
O aeroporto de Bogotá se assemelha bastante ao aeroporto do Panamá, os dois são grandes hubs da América, pois oferecem diferentes vôos aos Estados Unidos, América Latina e Europa! Gostei bastante do dutyfree colombiano e pude comprar café e chocolates locais, um dos meus preferidos! Já o aeroporto cubano, esse é um capítulo a parte, todo vermelho com as suas já tradicionais cores como as do comunismo, se assemelha bastante a uma rodoviária, o aeroporto é pequeno, o dutyfree idem, e a segurança é realmente reforçada, na volta fiquei parada num canto por alguns minutos, pois a mocinha pensou que eu não era eu, devido a tantos carimbos no meu passaporte, sendo assim ela chamou um dos chefões e ele vendo que eu era brasileira, disse que essa daí tinha que liberar de qualquer jeito!

 

 

A imigração cubana deixa muito a desejar! Saindo de lá, começou a nossa aventura por terras cubanas que às vezes eram de amor e às vezes eram de ódio! Repito: Internet em Cuba é inexistente, portanto fiquei mais de 8 dias sem acesso, ou com raras aparições no Instagram pagando a exorbitância de 15$ a hora em algum hotel caríssimo, esse sim artigo de luxo!
O CUC é a maior pegadinha da história!

E a viagem ao México chega ao fim

E depois de mais de 1 ano chega ao fim o Mochilão México! Mas os posts viajantes ainda não terminaram, ainda tenho que contar as novidades de Moscou e Havana! Como eu não tenho correria nenhuma de blogar e tampouco tenho muitos leitores, uma das melhores coisas é poder escrever quando se quer! Às vezes eu faço vários posts por mês, mas às vezes fico muito ocupada e não tenho muito tempo pra editar as fotos! Ainda tenho que escrever e postar as fotos sobre o inverno aqui na Inglaterra, eu não vejo a hora da primavera começar! Contagem regressiva! Só quando a gente sai do Brasil é que a gente sente falta do solzinho sagrado de todo dia. Falando sobre o México, essa visita ao país foi uma das mais especiais, primeiro porque sou fanática pela cultura mexicana, pelo rock mexicano e pelas novelas, sim! E depois, porque foi lá nas pirâmides que fui pedida em casamento! Falar nisso fez 1 ano que eu casei! Portanto, o México é um lugar simbólico e muito importante pra mim, sem contar que foi por causa do México que hoje sei espanhol e conheço praticamente tudo da América Latina! Se tudo der certo, ainda esse ano vamos à parte sul e atlântica/caribe mexicano, queremos muito visitar Cozumel, Cancún, Quintana Roo, Mérida, Chiapas, Palenque e quase toda a Península de Yucatán, além da Guatemala em Tikal!

Começamos a viagem na Cidade do México, e como eu adoro essa cidade, minha terceira preferida no mundo, ficando atrás só do Rio e Londres! Depois ainda conhecemos Guadalajara, Tequila, Colima e Acapulco! Foi demais! Quem tiver alguma dúvida de ir pro México, não tenha mais, pode ir sem problemas! País lindo, de gente linda e fantástica!
A viagem foi barata, a passagem saiu bem em conta, pois pegamos uma promoção da Copa Airlines, gostei de viajar com eles. Fizemos um stopover no Panamá e ainda ficamos por lá 2 dias!

Pelas minhas contas gastamos em torno 3.750R$ isso com a passagem já inclusa, além é claro de tirar uns 500$ pra compras no Panamá. Sobre o dinheiro troquei reais por dólares aqui no Brasil mesmo, e nessa nos demos mal, pois a cotação está 1U$ pra 2,4R$, além disso levei o cartão para emergências.  Ainda troquei libras para pesos mexicanos e fiquei rica, eu não, o Simon né! Achei o México bem mais barato que o Brasil.

Os gastos da viagem:
Passagem Brasília/Panamá/Cidade do México/Panamá/Brasília/ida e volta (COPA): 1,750R$
Hospedagem: 798R$ (1 Hostel e 3 Hotéis), Transporte local: 150R$ (táxi, ônibus, trem, metrô)
Comida: 350R$, Passeios: 300R$ (Teotihuacán e Museus), Gastos: 400R$ (Compras)
Passagens (entre as cidades): 389R$
Total: 4.137R$!

Vôos pela Copa Airlines, a empresa aérea do Panamá. O Simon viajou com a Delta Airlines do Estados Unidos e fez escalas em Nova Iorque, voltando pelo aeroporto de Birmingham!

E se quiser seguir todos os posts dessa viagem é só ir até a TAG Mochilão México
Até logo e nos vemos no próximo Mochilão!
Próxima viagem: Estados Unidos ou Japão.
Próximos relatos: Moscou em setembro de 2014!
Cuba e Colômbia em novembro de 2014!

Xochimilco e Coyoacán, dois bairros imperdíveis na Cidade do México

Depois de quase duas semanas viajando pelo México, voltamos ao Distrito Federal e fomos visitar o Mercado de Flores de Xochimilco. E que lugar lindo, é um dos lugares mais turísticos de toda a cidade, vale a pena a visita. Além desse passeio, visitamos outros lugares e o melhor é que navegamos pelo rio com as famosas “trajineras”, que são as embarcações que levam nome de mulheres. O passeio durou mais ou menos uma hora, tivemos a oportunidade de interagir com as outras pessoas, e já se vê que é um lugar muito festivo e alegre, as pessoas vão celebrar aniversários, casamentos e o passeio de domingo com a família.

IMG_5673-6

IMG_5677-6

Trajineras em Xochimilco e piñata mexicana no mercado de Coyoacán.

Várias trajineras levam mariachis e cantores populares, portanto será fácil fazer o passeio com alguma música de fundo. A escolhida foi a de nome Brenda! Além de Xochimilco, conhecemos Coyoacán que agora faz parte também da região metropolitana da Cidade do México. Esse bairro é famoso, pois é onde a pintora mexicana Frida Kahlo morava com o seu marido Diego Rivera. Lá conhecemos além da Casa Azul, residência dos dois, os Mercados de Coyoacán, o Estádio Olímpico de 1968 (que já citei no post anterior sobre os estádios e a Plaza de Toros) e outra zona Arqueológica bastante importante, mas pouco divulgada.

IMG_5672-7    DSC09773-6

Xochimilco é uma das 16 áreas do Distrito Federal, fica na parte sul, bem ao lado de Coyoacán. É um local muito conhecido pelos canais, pois ali está o lago Xochimilco, famosa atração turística, repleto de turistas, famílias, festejos, é realmente uma festa!

Os canais são particularmente populares nos finais de semana e feriados, muitas famílias mexicanas e turistas alugam barcos, que podem incluir serviços de música e comida. E como ser chique é pouco, ali também foram disputadas as competições de canoagem nos jogos Olímpicos de 68. Eu adorei passar o dia por lá, comemos, compramos e me senti mais incluída na cultura mexicana. Ali também dá pra ver a apresentação dos voladores, os mesmos que vimos em frente ao museu de Antropologia.

DSC09724-6

DSC09727-5

DSC09792-6
DSC09800-6
P7210680-6 P7210701-6
P7210702-6

p7210682

IMG_0480-6

De lá fomos a Coyoacán que é uma das áreas mais populares fora do centrão do D.F, perto da região está a Televisa, e várias cenas das novelas são gravadas por ali pelas redondezas. Coyoacán significa “lugar de coiotes” é bem por isso que o símbolo do metrô na entrada da cidade é um coiote. É também famoso pelo seu centro histórico, os seus museus, entre os quais o Museu Frida Kahlo e o Museo León Trotsky, teatros independentes e bares, bem como por ser onde se encontram a Cidade Universitária da UNAM e o Estádio Azteca.

Passamos o resto do dia pelas feiras e encontramos um restaurante muito bacana próximo ao museu da Frida. É fácil pensar que estamos em alguma província do interior como Puebla ou Guadalajara; Coyocán não se parece em nada com a movimentada Cidade do México!

Museu Frida Kahlo, la casa azul

A princípio pensei que o Museu Frida era sobre as obras da autora, mas ele é mais relacionado às roupas e aos objetos pessoais da grande artista mexicana. Mesmo assim, é um grande passeio que merece ser visto.

Não é permitida a entrada no museu com mochilas ou sacolas, portanto é preciso deixá-las nos “lockers” que eles oferecem, lá também você irá encontrar um loja com preços não tão convidativos, mas com algumas coisas que valem a pena comprar. Gostei muito desse museu, e espero na próxima vez visitar o museu de Diego Rivera; a casa da Frida também é chamada de Casa Azul, uma das cores preferidas da artista que tinha até o seu azul próprio nas telas.
museo-frida-kahlo-168513
IMG_5676-6
2615c91594b3e50562153425d983f677
mexico10
mexico11

O museu fica na rua Londres 247 ali mesmo em Coyoacán, um dos bairros mais tradicionais. O museu também conhecido como La Casa Azul é um dos lugares mais representativos e culturais da região, a família Kahlo tem esse local desde 1904 e somente em 1958 que a casa virou o famoso museu. Nos quartos é possível ver as roupas, acessórios, os móveis, praticamente tudo da pintora. Algumas telas são realmente chocantes e nelas você vê o sofrimento da pintora.

É necessário pagar uma permissão especial para tirar fotos do interior da casa. Todas as camas que Frida usou, quando sofreu o acidente, estão por lá.
dsc09811
P7210715-6
mexico13

Todos os cômodos são milimetricamente inspirados na pintora, é como viver a vida de Frida estando em sua casa. Antes de morrer, o próprio Diego Rivera pediu a Dolores Olmedo que quando ele e Frida morressem que ela transformasse a casa em um museu e assim foi feito.

Pra chegar até o museu desça na estação do metrô Coyoacán e caminhe em direção reta por pelo menos uma meia hora, ou então como já indiquei use o Turibus, que é o ônibus turístico da cidade, uma boa opção pra quem quer economizar. O valor da entrada é de 140$ (pesos mexicanos) e paga-se mais 70$(pesos mexicanos) pra tirar fotos no interior da casa.
mexicocityfridakhalomuseum-8
017
frida-kahlo-museum-closed-on-mondays-223
A nossa visita ao museu foi um dos últimos passeios que fizemos em Coyoacán e de lá voltamos para o nosso hotel e terminamos a noite em um dos bares mais legais da Colônia Condesa! Essa viagem foi sem dúvida uma das melhores e até hoje me pego recordando vários momentos.

Salve essa imagem no Pinterest pinterest

– Não deixe de reservar a sua viagem com nossos links parceiros como o Rail Europe, Hostelclub, Booking, Rentcars e o Weplann, pois além de garantir menor preço e qualidade, o blog continua oferecendo conteúdo exclusivo e original.

– Reserve também seu hotel pelo Booking.com, site com o melhor preço, com diversos hotéis pelo mundo e com a opção de cancelamento gratuito.

– Alugue seu carro na Europa, Brasil e América Latina com a Rentcars.

– Use Internet Ilimitada em mais de 140 países com o chip da Easysim4U.

Rail Europe - O melhor lugar para sua viagem de trem

Booking.com

Estádios, Olímpico e Azteca e a Plaza de Toros

Nos últimos dias, fizemos um passeio que eu gostei bastante! Contratamos uma van que nos levou a vários pontos turísticos longe do centro. Visitamos os estádios, o Azteca, e o Olímpico, além da Plaza de Toros. Logo depois também fomos a Coyocán, ao mercado, a Xochimilco, local incrível onde estão as “trajineras”, as embarcações flutuantes e por último alguns museus e a Casa da Frida Kahlo! O estádio Olímpico Universitário pertence à UNAM, a Universidade Autónoma do México, passamos inclusive pela universidade e tive a oportunidade de ver a incrível biblioteca, sim a famosíssima biblioteca cheia de caracteres e motivos indígenas. Pra quem não tem ideia, esse estádio foi a sede dos Jogos Olímpicos de 1968, portanto, um marco histórico para o país. Já o estádio Azteca, esse todo mundo já ouviu falar, afinal o Brasil foi tricampeão mundial de futebol em 1970! Ele já foi considerado um dos maiores da América de cima, ali também já foram gravados vários filmes, shows e programas de TV!

Ele foi construído em 1962 justamente para abrigar a Copa de 70, foi o único estádio no mundo a abrigar duas finais de copas mundiais, a final de 70 e a copa de 86! O Maracanã não conta, pois foi totalmente reformado e entrou esse ano é claro!

Esse estádio é tão mítico que ele consagrou os dois maiores jogadores de futebol mundial, Pelé em 70 e Diego Maradona em 86, que sortudo os mexicanos, não! Atualmente, o América Futebol Clube é o dono do estádio, além de ser é claro a casa/sede da seleção mexicana de futebol.

Já falando sobre a Plaza de Toros, essa é a terceira que visito! Felizmente as da Espanha foram desativadas, mas essa do México ainda vive as trágicas touradas. Ali nasceu um dos grandes do cinema mexicano, o famoso el torero payaso, Cantinflas!

A Plaza de Toros de México fica na Ciudad de los Deportes, pertinho do estádio Azul, ela é conhecida internacionalmente como La Monumental. Assim como o estádio azteca, também é palco de shows e gravações para a TV, ali foi palco dos últimos shows de grande bandas mexicanas como Caifanes, El Tri e a argentina Soda Stereo, além das inglesas Muse e Coldplay! História é pouco!
Nos próximos posts mais de Coyocán e Xochimilco que são os lugares mais mexicanos da Cidade do México!

Crowne Plaza, o hotel de Acapulco

Crowne Plaza Hotel
Fiquei nesse hotel com meu namorado, marido em meados do mês de julho de 2013 e realmente me supreendi! Vi algumas reviews não muito a favor, mas gostei do meu tempo por lá! O clima estava ótimo, então aproveitamos bem a piscina (O DJ é péssimo) e o quarto que tem uma ótima cama e com bastante espaço, a vista do quarto é espetacular e dormir com o som das ondas do mar é algo invejável! Ficamos no 23º andar, em parte não foi uma boa escolha, pois o elevador é muito antigo e demora bastante! A comida do restaurante e o café da manhã são ótimos! O quarto é bastante confortável e limpo! O hotel dispõe de 4 piscinas exteriores, a maioria dos quartos do hotel proporcionam vistas para o oceano e existe um campo de golfe a 30 minutos de carro da propriedade.
Todos os quartos do Crowne Plaza Hotel Acapulco têm uma decoração elegante com mobiliário contemporâneo, eles só esqueceram de falar que o hotel parou no tempo.

Os hóspedes poderão saborear pratos da gastronomia mexicana e internacional num dos restaurantes do hotel.
O bar de apoio à piscina serve snacks e bebidas, enquanto o bar do átrio apresenta música ao vivo nas noites de sexta-feira e de sábado.

O hotel providencia um balcão de turismo, um balcão de agentes de viagem e um serviço de câmbios. Também existem serviços de baby-sitting e de compras. O hotel está bem ao lado do Hotel Imporio, famoso hotel onde foram gravadas as cenas do seriado humorístico El Chavo del 8! Eu, claro como boa fã também dei uma passada por lá.

Voltaria com certeza! Acho que pelo fato de ser um imenso hotel com mais de 23 andares deixam a desejar em alguns aspectos! Parece que pararam no tempo! Felizmente pagamos um bom preço por um bom hotel! De Acapulco voltamos para a Cidade do México e lá ainda tivemos tempo de ir a Coyocán, Xochimilco, além dos passeios pelos estádios e a Plaza de Toros.

Um resumo por Acapulco, capital do estado de Guerrero

Depois de alguns dias no Distrito Federal e em Guadalajara, chegamos a outra famosa cidade no México, no estado de Guerrero, um dos balneários mais famosos do país, Acapulco.

Ficamos 4 dias, o lugar é lindo, e as praias idem! O hotel é realmente ótimo, a verdade é que é um pouquinho antigo, mas o serviço é muito agradável, além é claro dos funcionários, muito prestativos e queridos. Depois farei um post específico sobre o Hotel Crowne Acapulco. Passamos muito tempo na piscina, pois eu nunca vi um lugar tão quente, ficar na praia é quase impossível, a água é tão quente quanto a do chuveiro, é algo surpreendente.

Além disso, fomos até o Emporio Hotel Acapulco, que é o famoso hotel onde foram gravadas as cenas do seriado mexicano, El Chavo del 8 e Chapulín Colorado (Chaves e Chapolim no Brasil), o local fica ao lado do hotel onde estávamos hospedadas, e pra terminar o dia, fui com a Fernanda até uma loja de discos e fiquei enlouquecida com os CD’s de rock latino, queria comprar todos, mas estavam tão caros que desisti, e comprei só dois, um do La gusana ciega e outro do Caifanes.

 
O balneário é um dos principais destinos turísticos do país, a baía foi batizada com o nome de Santa Lúcia, correspondente ao dia de seu descobrimento pelos navegantes espanhóis. Acapulco se divide em três grandes zonas turísticas conhecidas como: Acapulco Tradicional, Acapulco Dourado e Acapulco Diamante.
A palavra Acapulco provem do náhuatl (língua dos índios) e significa ácatl “carrizo ou cana”, “poló” (destruir ou arrasar) e “co” (povo ou lugar), o que em conjunto quer dizer “No local foram arrasados e destruídos os juncos”.
Os nomes mexicanos são incríveis, cheios de história e mistério.

Continue lendo “Um resumo por Acapulco, capital do estado de Guerrero”