Follow:
Europa França Mochilão Europa Museus Paris Pontos Turísticos Relembrando

Um Relato sobre Paris!

Por Fernanda Santos
Post original no http://www.voyagecultural.blogspot.com.br/2011/04/franca-paris-2011.html
Continuando o Mochilão de Dona Fernanda, a Cidade Luz, Paris, detalhe que Paris foi antes de Berlim.

“No dia 14 saída de Londres de Eurostar às 05h30 e chegada à Paris na estação Gare Du Nord às 9h30. Fiquei surpresa, pois nem percebi que a imigração acontecia ainda em Londres na estação Internacional St. Pancras. A viagem foi tranqüila e o trem confortável, o problema é que quando cheguei na cidade fiquei perdidinha procurando o posto de imigração e nada, você já sai da estação direto no metrô de mesmo nome e não há nenhuma fiscalização aparente. Entrei igual se entra na casa da mãe Joana como havia dito no post anterior. Eu optei em ir de trem, pois é mais viável, o aeroporto é longínquo e já há um maior envolvimento com a população local e se entra no clima da cidade”..


   




A primeira foto, Torre Eiffel e o Metropolitan do Louvre.

Depois fui direto para o Hostel Oops onde fiquei hospedada (ótimas instalações e staff muito bom – tem uma brasileira muito simpática na recepção – só não gostei de um carinha lá do Sri Lanka que é muito folgado e não respeita muito as mulheres…), o hostel foi até indicado por uma resvista de designers do país e está situado no Quartier Latin, precisamente no Bairro Les Gobelins . A cidade fica repleta de turistas e como tal há em vários lugares informações em “vários idiomas entre os principais inglês e espanhol.
A cidade Luz é bem bonita sim, respira arte por todos os lados e ao contrário do que muitos dizem o parisiense é bem humorado e receptivo, mas no inverno a limpeza da cidade deixa um pouco a desejar. A mendicância faz a festa e armam tendinhas no metrô que se diga de passagem me pareceu estiloso apesar da sujeira.


Fotos variadas da Torre Eiifel.

O engraçado é que são os locais (vi vários homens) que não pagam o bilhete do metrô e pulam a catraca sim, na maior cara de pau. Lógico que a maioria deve pagar e acho que os turistas também pagam. Acredito que na maioria das estações não há guichê para a compra do bilhete como no Brasil, é necessário comprá-lo na máquina que inclusive vem com a opção de vários idiomas à disposição, fora o português, que durante a viagem perguntei-me porque há tanto descaso com a língua de Camões, praticamente não há nada no idioma em todos os países que fui, é bem triste essa situação.


O transporte é bem eficiente e alcança grande parte do centro e arredores, o metrô possui várias linhas, então, fica muito mais fácil locomover-se. O ônibus pode ser pago com o cartão do metrô e vale por uma hora (segundo disse-me um local). A cidade é bem viva, há muita gente de qualquer lugar e há uma miscelânea de idiomas. Ah! Outro ponto importante, o que falam sobre o povo parisiense que só responde em francês ou só são gentis com quem arranha um pouco é uma falácia hehe, eles gostam mesmo de ajudar o turista em inglês, mas apesar disso consegui aticar o meu francês enferrujado.



Estive na cidade do dia 14 até o dia 17 de Janeiro e aproveitei bastante, o interessante é conhecer a Ilê de La Cite a pé, fui aos pontos turísticos badalados, como a Torre Eiffel, Trocadéro, Arco do Triunfo, O Museu do Louvre, Place de La Concorde, O Sena, A Catedral de Notre Dame e o bairro de Montmartre onde estão o Moulin Rouge e Sacre-Coeur. Não deixem de visitar o Cemitério Père Lachaise que tem até guia turístico, pode-se escolher os túmulos dos artistas do Rock (Jim Morrison), da música francesa (Edith Piaf), da Literatura francesa (Honoré de Balzac) e Religião (Allan Kardec).


Fotos do Louvre, Hotel do Louvre, L’obelisque, Sacre Coeur, Notre Dame e o Moulin Rouge. 


Leia também:

Previous Post Next Post

No Comments

Leave a Reply

Loading Facebook Comments ...
%d blogueiros gostam disto: