Follow:
Curiosidades Dinheiro Europa Hospedagem Mochilão Europa Mochilão Moscou Moscou Preparativos Rússia

Roteiro e Hospedagem, Mochilão Moscou!

Pra terminar com os posts pré viagem pra Moscou, falta falar do roteiro e da hospedagem propriamente dita! Procurei vários hotéis, pois nem rola ficar em hostel por lá, eu olhei bastante e não gostei de nenhum, sem contar que os preços estavam mais caros que alguns hotéis! Como eu não conheço bem a cidade, preferi ficar no centro próximo aos pontos turísticos. Os hotéis mais baratos ficam fora desse eixo, mas não quis me arriscar, quem sabe uma próxima vez. Achei um hotel simples, porém diferente, o Basilica Hotel, como já comentei antes e desse eu gostei bastante, fica próximo ao centro e é localizado em uma antiga Catedral Ortodoxa do século XVIII, fica a 10/15 minutos a pé da Praça Vermelha e do Kremlin, olhei a pontuação e os comentários e me pareceu bem convidativo. A princípio o preço tava 195£ por 4 noites, então resolvi esperar até achar algo mais em conta, no outro dia olhei de novo e achei um quarto por 135£, portanto reservei na hora! 
O legal é que é tudo muito perto, os museus, o teatro Bolshoi e o bairro de Kitai-Gorod que é tipo o centrão da cidade! Algumas das fotos destes primeiros posts são da Paula, visita lá! O roteiro é basicamente o basicão pra conhecer a cidade, são 4 dias, não vou conhecer tudo, mas pelo menos vou nos lugares que mais me interessam! E é claro entre eles estão o Kremlin, a Catedral de São Basílio, a Praça Vermelha, o Mausoléu de Lênin e alguns outros museus e quem sabe uma visita ao Teatro Bolshoi!

Como já falei bastante por aqui, me inspirei muito nos posts da Paula e bem por isso decidi finalmente incluir a cidade em uma semana de férias! Gostei bastante também do link do roteiro em construção: Conhecendo Moscou em 2 dias. 
O roteiro é bem simples, mas já ajuda pra quem vai passar poucos dias na cidade! 
Além da maioria desses, ainda vou ao Museu do Cosmonauta, o Pushkin State Museum of Fine Arts, o Jardim de Alexander, e é claro, sem dúvida, alguma feira perdida por lá, com certeza na Rua Arbat!
Novamente os gastos da viagem:
Passagens: Malvern/Londres/Gatwick: 96£ – Londres/Moscou/Londres: 150£
Hospedagem: 135£ 4 dias/noites, Transporte local: 20£, Comida: 50£, Passeios: 50£
Gastos: 50£, Visto: 125£ – Total: 676£ (total) ou 1,450R$ (pessoa).


Leia também:

Previous Post Next Post

9 Comments

  • Reply viagenzinhahein

    I hope it's not too late to post this comment.

    Flávia:

    Fuja da Rua Arbat! Sério! O lugar não tem nada demais e vai fazer você perder um tempo precioso que você poderia estar fazendo qualquer outra coisa na incrível Moscou. Estabelecendo uma comparação, ela me lembrou as ruas do Saara, no Rio, só que abarrotada de lojinhas de souvenirs e de restaurantes piège à touristes. No máximo, desça na estação de metrô Smolenskaya (que é linda!) e dê uma olhadinha no prédio do Ministério das Relações Exteriores de Moscou (que vale a ida) e depois tome outro rumo.

    Tem dois passeios em Moscou que, em parte, eu me arrependo de ter feito: o primeiro foi o da Rua Arbat e o outro foi o de caminhar pela rua Tverskaya. Você que mora em Londres, não vai achar nada demais na Oxford Street (eu já acho a original um horror) moscovita. Eu me arrependo de não ter aproveitado o dia bonito e de ter passeado pelo parque Kolomenskoye.

    Para mim, na capital russa, são imperdíveis a Praça Vermelha (haja o que houver, vá também à noite visitá-la), a Galeria Tretyakov (se você gosta de artes plásticas, as obras russas são um must) e as catedrais do Kremlin (a sala das jóias – acho que em inglês, foi traduzida para Armoury – é interessante, mas não é imperdível, na minha opinião). Também não deixaria de visitar a Catedral de Santo Cristo Salvador, ela foi reconstruída e é magnífica (apenas advirto a vocês de esconderem as câmeras fotográficas em bolsas ou mochilas antes de entrarem na igreja, desde o incidente com o Pussy Riot, a diocese não deixa ninguém entrar se o visitante tiver na mão, pescoço ou cintura, qualquer dispositivo hábil a tirar fotos, acho que não tem cloakroom).

    Outra coisa, vá se preparando que não se fala inglês nas ruas, nem nos lugares turísticos. Para você ter uma ideia, nós tomamos café no "Le Pain Quotidien", da rua Arbat (para você ver como os lugares não parecem tão interessantes, ao ponto de termos optado por uma quase rede de fast food), em que os funcionários, muito gentis, não entendiam lhufas de inglês, francês, alemão ou português.

    Não tem mistério usar o metrô de Moscou, ele lembra o de Paris com as "correspondences" entre as linhas (acho que uma mesma gare não serve para mais de uma linha), mas você tem que saber transliterar o cirílico.

    Vá preparando também o bolso, pois é muito caro comer em Moscou e, salvo algumas exceções caras ao redor do Bolshoi e da Petrovka ulitsa.

    Nós ficamos 3 dias e meio em Moscou, mas é uma cidade para ficar no mínimo 5 dias. Tem muita coisa para fazer.

    Bon voyage!

    13 de setembro de 2014 at 17:37
    • Reply Flávia Donohoe

      Nossa! Muito obrigada pelas dicas André! Estava mesmo pensando se valeria a pena passar pela rua Arbat, como tenho poucos dias. Eu li várias dicas em alguns blogs e o seu me ajudou bastante, obrigada pela aula! Sempre tive muita vontade de ir a Moscou e saindo de Londres fica bem mais viável, vamos ficar 4 dias, talvez em um futuro me anime a voltar, a minha irmã também quer conhecer, infelizmente ela não poderá ir agora! As suas dicas são valiosas!

      Eu adoro metrôs, é um dos meus passeios preferidos, além é claro das estações de trem, isto mostra muito a cultura de um povo!

      Merci et à bientôt 😉

      14 de março de 2016 at 21:55
  • Reply viagenzinhahein

    Esqueci de completar a frase, salvo algumas exceções caras ao redor da Petrovka Ulitsa e do Bolshoi, os restaurantes não fecham tarde em dias de semana (eu acredito que em outros lugares, a cidade deve funcionar 24h com preços menos exorbitantes).

    13 de setembro de 2014 at 17:43
  • Reply Flávia Donohoe

    Nossa! Muito obrigada pelas dicas André! Estava mesmo pensando se valeria a pena passar pela rua Arbat, como tenho poucos dias. Eu li várias dicas em alguns blogs e o seu me ajudou bastante, obrigada pela aula! Sempre tive muita vontade de ir a Moscou e saindo de Londres fica bem mais viável, vamos ficar 4 dias, talvez em um futuro me anime a voltar, a minha irmã também quer conhecer, infelizmente ela não poderá ir agora! As suas dicas são valiosas!

    Eu adoro metrôs, é um dos meus passeios preferidos, além é claro das estações de trem, isto mostra muito a cultura de um povo!

    Merci et à bientôt 😉

    13 de setembro de 2014 at 19:31
  • Reply Flávia Donohoe

    Ah! Quais lugares você indica pra comprar lembrancinhas? E você contratou transfer na chegada ou foi de trem mesmo?

    13 de setembro de 2014 at 19:33
  • Reply viagenzinhahein

    Eu comprei as matrioshkas em São Petersburgo, na loja do hotel em que fiquei hospedado (onde era bem mais barato) e numa loja de rua próximo à Catedral de Smolny (onde paramos para tomar um chá grátis), acabamos sendo tão bem atendidos, uma das vendedoras falava francês perfeitamente, que acabamos comprando alguma coisa por lá.

    Em Moscou, eu comprei umas lembrancinhas numa loja na lateral direita do Museu de História Russo, do lado da Porta da Ressurreição.

    Se você for visitar o prédio (por fora) do Ministério das Relações Exteriores de Moscou, entre em alguma lojinha rápida da Rua Arbat, mas não perca mais de meia hora no lugar (não vale à pena mesmo).

    Outro passeio que eu achei incrível é ir até a Universidade Lemonosov (como o Ministério das Relações Exteriores, o prédio é um dos arranha-céus do Stalin), de lá você tem uma vista linda, tanto do prédio, como da cidade, fora que o parque à frente da universidade é uma delícia! Ao contrário do que imaginamos, Moscou é uma cidade muito arborizada e, nesse lugar, dá bem para se ter esta noção.

    13 de setembro de 2014 at 20:11
  • Reply Flávia Donohoe

    Obrigada novamente! Irei procurar as matrioshkas na rua Arbat, já me disseram que por lá é mais barato! Adorei as dicas e com certea irei incluir a universidade e o prédio do Ministério das Relações Exteriores nos passeios! Já li vários relatos sobre a cidade e a maioria foi favorável, minha única preocupação é o transfer ou o táxi que tenho que pegar a noite assim que chegar! Abraços

    15 de setembro de 2014 at 18:18
  • Reply Priscila

    Obrigada pela visita, Flávia!!! O blog tá paradão mas fico TRI feliz quando as minhas dicas ajudam a fazer de uma viagem uma experiência ainda melhor 🙂

    13 de março de 2016 at 12:58
    • Reply Flávia Donohoe

      De nada Priscila, o seu post me ajudou bastante, espero que o seu blog volte à ativa o mais rápido possível! Abraços

      14 de março de 2016 at 21:54

    Leave a Reply

    Loading Facebook Comments ...
    %d blogueiros gostam disto: