Follow:
Alemanha Bloggers out and about Blogosfera Espanha Europa Fernanda Inglaterra Mochilão Europa Museus Polônia Relembrando República Tcheca

Museus pelo mundo [Europa]

hpim3669

Museu do Gueto de Varsóvia – Polônia

Este é mais um post da comunidade de viagens, Bloggers out and about, agora falando sobre museus, e para que o post não fique mais gigante do que já está, resolvi listar somente 10 museus, felizmente já visitamos mais de 30 museus pelo mundo, então é uma tarefa bem difícil escolher os museus preferidos.

Aqui vai a nossa listinha:

HPIM0495

Museu do Louvre – Paris

O museu francês é um dos mais conhecidos e cultuados pelos amantes da arte. Está localizado no Palácio do Louvre e possui as obras mais destacadas da arte, sejam elas antigas, clássicas ou contemporâneas. Destacam-se neste acervo pinturas como a Monalisa, Vênus de Milo, Diana a Caçadora; coleções do Egito, da civilização greco-romana, bem como peças e artefatos das antigas civilizações pré-colombianas da América. Registram-se, assim, 8 mil anos de história e mais de 350  mil peças das civilizações oriental e ocidental.

No edifício encontra-se a pirâmide clássica da entrada, que é um dos símbolos moderno do museu. Em seu interior, têm-se as alas: Cour Napoléon na direção norte e  sul; têm-se, também as alas Sully, que contém as obras da antiguidade, bem como a Richelieu e a Denon. Para os que são amantes e realmente apreciam, é essencial passar um dia admirando as peças. A visita no primeiro domingo do mês entre março e outubro continuam gratuitas (coleção permanente).

É possível comprar o bilhete pela internet ou na bilheteria do museu. Há o transporte público que está bem sortido para chegar à localidade, sendo assim, não deixe de visitar este grande expoente que guarda grande parte da arte mundial.

Entrada: 15 euros.

Endereço: Musée du Louvre, 75058 Paris – França.

Metrô: Palais-Royal-Musée du Louvre (linhas 1 ou 7).
Bus: 21, 24, 27, 39, 48, 68, 69, 72, 81, 95.

hpim1898

Museus Anne Frank – Amsterdã

O museu Anne Frank desperta variadas sensações ao visitante, é comovente ver a preservação da história sobre os judeus que viviam naquela localidade no período de guerra. Para quem aprecia história, é uma contradição imensa ver “in loco”, há um misto de felicidade e tristeza rever fotos e escritos da pequena garota que impressionou o mundo com o seu ponto de vista sobre a reclusão e preconceito durante os anos ali vividos.

Segundo informações no site do museu Anne Frank, a partir de 1º de maio de 2016, das 9h às 15h30min, o museu estará aberto somente para visitantes que possuam um bilhete on-line para um determinado horário.

Em Amsterdã, na maioria dos museus, é proibido tirar fotografia, o que é uma pena, mas é importante preservar a obra de fatores externos. Consegui tirar fotos de maneira clandestina em 2011 (não me orgulho disso!), mas em 2013 a segurança estava mais rigorosa devido à fama que o local alcançou. Ao término da visita, você pode comprar souvenirs na loja e tomar um cafezinho na cafeteria do museu. Na parte externa, próxima ao museu encontra-se a estátua da Anne Frank.

Mais informações:  Museu Anne Frank

Entrada: 9 euros – adultos; gratuita – crianças de 0 a 9 e meia-entrada – crianças/adolescentes de 10 a 17. (2016/2017).

Endereço: A Casa Anne Frank está situada no canal Prinsengracht, nºs 263-267, no centro de Amsterdã. Partindo da Estação Central, levam-se cerca de 20 minutos caminhando. Os bondes 13, 14 e 17 – além dos ônibus 170, 172 e 174 – param perto do museu, no ponto “Westermarkt”.

Museu Van Gogh – Amsterdã

O Museu Van Gogh está localizado em Amsterdã, na praça dos museus (Museumplein). A entrada se encontra na Paulus Potterstraat 7 e as visitas acontecem diariamente, possui um restaurante e uma loja  em seu interior, além de uma biblioteca. Há visitas guiadas e nele estão dispostos os trabalhos notáveis do pintor holandês Vicent van Gogh e seus contemporâneos. A praça dos museus tem um rinque de patinação e o famoso letreiro AMSTERDAM.

Van Gogh é um dos artistas holandeses mais famosos de todos os tempos, esteve ativo somente durante dez anos: desde 1880 até a sua morte em 1890. Não é permitido tocar nas obras, bem como tirar fotos ou fazer gravações. Além disso, é preciso deixar os pertences no guarda-volume, é uma experiência que não será registrada e só a pessoa que o visitar apreciará os quadros deste grande expoente da pintura mundial.

No primeiro andar, está exposta uma ampla seleção de suas pinturas em ordem cronológica. Essa apresentação oferece um ótimo panorama do desenvolvimento de suas obras. Infelizmente, os desenhos e cartas do artista não podem ser expostos devido à sensibilidade deles. No terceiro andar, são mostrados a coleção do século XIX, em que, em muitos casos, se indica a relação com a obra do pintor. No segundo andar, encontram-se apresentações educativas sobre pesquisas de restaurações e obras em papel.

Obras importantes: Os comedores de batatas, 1885; Os Girassóis, 1889; A casa amarela, 1888;  A noite Estrelada, 1889; Auto-retrato com Chapéu de Palha,1887; O Quarto de Van Gogh em Arles, 1889.

Entrada: 22 euros – adultos – com guia multimídia; 17 euros – adultos – só a entrada e gratuita – crianças de 0 a 17. (2016/2017).

Endereço: Museumplein 6 1071 DJ Amsterdã.

Museu La Pedrera (Casa Milà) – Barcelona

Museu e casa de um dos artistas mais notáveis e surpreendentes na minha opinião. Gaudí (1852-1926) é o símbolo por excelência da cidade de Barcelona e a “La Casa Milà” representada por sua obra é conhecida por La Pedrera. O edifício foi construído entre 1906 e 1912 e declarado Patrimônio mundial da Unesco em 1984, o museu é um importante centro de cultura e referência da cidade de Barcelona. Nele encontramos várias peças e obras do arquiteto, como objetos da sua residência.

O terraço é deslumbrante e nele vemos de maneira sublime a mão de Gaudí, pois lhe permitiu desenvolver em forma de escultura em pedra formas e configurações representando os elementos da natureza. Segundo informações do museu, as pinturas murais remontam às telas impressionistas, bem como o edifício parece desafiar o nosso conceito de arquitetura convencional. O aspecto mais impressionante é a cobertura, com uma aparência quase lunar ou de sonho. Funciona de segunda a domingo das 9 às 18h30 e das 19 às 21h. Na cidade também se encontra outro museu referência para os arquitetos, “Casa Batló”, que está do outro lado da mesma avenida, sendo assim, vale a pena visitá-los, paradas essenciais na cidade catalã.

Entrada: 27 euros entrada premium; 20,50 euros de dia e 39,50 euros de dia e de noite. (2016/2017)

Endereço: Passeig de Gràcia, 92. 08008, Barcelona.
Tel. 902 202 138.

Bus: 7,16,17, 22, 24 e V17.
Metrô: linhas 3 i 5, estação Diagonal.
FGC: estação Provença-La Pedrera.
RENFE: estação Passeig de Gràcia.

        hpim3282 hpim3187

Museu Kafka – Praga

Expoente importantíssimo da literatura mundial, Franz Kafka nasceu em Praga em 1883 quando a cidade ainda pertencia ao império austro-húngaro. Famoso pelas suas obras “A Metamorfose” e “O Processo”, estas trazem um misto de intensidade, perplexidade e está repleta de brutalidades física e psicológica, que são características marcantes em seu enredo. Ao visitar o museu em Praga, o viajante não se portará indiferente, ali são contadas todas as obras, fascínios e, sobretudo, as misérias sofridas pelo escritor.

No local, não é permitido tirar fotografias ou fazer filmagens e é possível fazer um recorte interessante dos manuscritos das principais obras. Lá encontramos as primeiras edições de seus livros, cartas, diários, manuscritos, fotografias e desenhos exclusivos; no aspecto audiovisual, há 5 salas com áudio especial para a exibição das obras e, como representado em seus livros,  nota-se o local como um labirinto. Para os amantes da literatura e curiosos, o museu é parada essencial.

Mais informações: Museu Franz Kafka

Entrada:  7,5 euros 200 czk – adultos;  5 euros 120 czk – estudantes, idosos e deficientes e 20 euros 540 czk bilhete – família (2 adultos e 2 crianças.) só a entrada e gratuita – crianças de 0 a 17.

Endereço: Cihelná 635/2b, 118 00 Praha 1-Malá Strana, República Tcheca.

hpim3686

Museu do Levante de Varsóvia – Varsóvia  

Este museu polonês representa a resistência à tirania nazista. Confesso que fiquei emotiva ao entrar em um local tão importante para os poloneses e que demonstra a vontade de se reerguer e não ser subjugado a nenhum movimento antidemocrático. Ele é um tributo aos residentes de Varsóvia, bem como aos poloneses que lutaram por uma Polônia independente. A área do museu possui 3000m2, apresenta mais 800 itens em exibição e mais de 1500 fotos, filmagens e áudios referentes ao período em que a Polônia foi invadida e mostrou resistência.

No Hall B, há a segunda parte em exibição e que foi aberta em maio de 2006. No local estão presentes histórias dos aliados, assim como a réplica da avioneta Liberatir B-24j; é possível ver que dentre os aliados, existiam alemães e vários documentos desta insurreição e testemunhos relevantes no período em 1944. Como a Polônia foi invadida e destruída, ali neste espaço são exibidos vários documentos importantes sobre o acontecimento; há também a Torre do Museu que é uma atração especial e de lá vê-se o Parque da Liberdade com sua vista privilegiada.

No geral, o horário de funcionamento vai de 8h00 às 18h. E às terças-feiras o local está fechado.

Mais informações: Museu do Levante Varsóvia

Entrada:  4,5 euros 20 pln – adultos;  3 euros 12 pln – grupos. Aos domingos, a entrada é gratuita.

Endereço: Grzybowska 79 Warsaw 00-844, Polônia.

Museu e Memorial do Holocausto – Budapeste  

O Holocaust Memorial Center foi um dos museus mais impressionantes que tive a oportunidade de conhecer. Depois de ir ao Museu do Terror, fomos ao Memorial do Holocausto em Budapeste. Ele lembra as milhares de mortes dos judeus húngaros ou  que foram deportados e morreram nas mãos do nazistas, estatisticamente uma de cada dez vítimas do holocausto era de origem húngara.
A exposição do museu é chamada de “Da privação dos direitos ao Genocídio” – From Deprivation of Rights to Genocide- ali é narrada a história do povo judeu na Hungria, uma história que começou antes da barbárie nazista, quando em 1938 o estado começou a privar os judeus de certos direitos humanos fundamentais. Em 1944, quando o exército alemão invadiu a Hungria, o governo começou a  se apropriar  de todas os bens e enviaram os judeus aos guetos e aos campos de trabalho.
O museu é bastante completo, possui vários painéis, informativos, apresentações interativas, áudios, videos e é possível ter uma visão da história desde o início das perseguições até os assassinatos em Auschwitz-Birkenau e outros campos de extermínio. No final da visita, vemos a linda Sinagoga restaurada graças as fotografias que foram conservadas desde o princípio do século XIX.  A arquitetura é surpreendente e a decoração muito bonita. O complexo é vasto e inclui a Sinagoga, o Museu, O Muro de vidro onde estão os nomes de mais de 500.000 mil vítimas do Holocausto Húngaro!

Mais informações: Museu e Memorial do Holocausto

Entrada: 10 euros, 2.800 florins – adultos a partir de 27 anos, 7 euros, 2.200 florins – idosos e 4 euros, 1.000 florins – estudantes (6-26 anos). Para chegar ao local, vá até o Metrô Ferenckörút M, línea M3. O museu funciona de terça a domingo das 10h às 18h.

Endereço: Rua 39 Páva St 1094 Budapest – Hungria

hpim2753

Museu do Muro –  Mauermuseum – Berlim

Em Berlim, próximo ao posto de controle Checkpoint Charlie,  este museu guarda grandes sensações ao visitante. O museu trata especificamente sobre do Muro de Berlim, bem como da sua construção em 1961 e várias outras curiosidades. Com o fim da guerra, a Alemanha foi dividida em Ocidental e Oriental, a construção do muro se tornou inevitável por parte da Alemanha Oriental (socialista) com o acirramento da Guerra Fria. Berlim ficava em território soviético,  no entanto, ainda assim, foi divida em quatro setores/zonas pelo “Acordo de Postdam”, de uma lado a RFA (Federal – capitalistas) e do outro a RDA (Democrática-socialistas).

Na localidade é possível ver os objetos usados para escapar da RDA sejam escapes por debaixo, sobre ou através do muro. A exposição permanente remete aos primeiros dias da construção e conta como era feita a segurança, lá também encontramos as placas originais. Em outros quarto, vemos os artefatos usados para a fuga e leitura das histórias das pessoas afetadas e suas incríveis fugas, como a utilização de um balão de ar quente e que se encontra em exposição atualmente.

Por incrível que pareça, foram utilizados muitos meios para o escape, entre eles o uso de um balão de ar quente, como mencionado, a construção de um túnel, o uso de mini-submarinos caseiros, o desvio inesperado de um trem, o roubo de um dos tanques de guerra etc. Em toda cidade, encontram-se partes do muro e homenagens aos homens e mulheres corajosos que decidiram deixar a vida difícil da Alemanha Oriental, mas tiveram outras adversidades além do muro.

Se você é, além de curioso, um entusiasta da história do período, vale a pena ir ao museu citado e passar algumas horinhas na região, onde há o famoso posto de imigração Checkpoint Charlie, sobretudo houve a revitalização da área com cafés e locais com obras de artes, grafites dos locais. Por fim, caso queira conhecer algumas localidades onde há ainda partes do muro em exposição, não deixe de visitar a “East Side Gallery”,  a “Postdamer Platz” e/ou “Topografia do Terror”, que fica a alguns quarteirões do Museu do Muro.

Mais informações: Museu do Muro em Berlim

Entrada:  12,5 euros – adultos;  9,5 euros – estudantes e deficientes com certificação e 8,5 euros – grupos de 25 pessoas ou +. No local há lockers e a permissão para tirar fotos custa 5 euros.

Endereço: Friedrichstraße 43-45, D-10969 Berlin-Kreuzberg, Alemanha.

Museu e Art Gallery – Birmingham

Neste museu encontrei uma das obras mais criativas que já presenciei, o quadro 3d. Não há somente arte moderna, nele encontramos grande parte da história da região do Costwold. Não há desculpa para deixar de visitá-lo, pois a entrada é gratuita. O que me pareceu interessante também são os grupos de alunos atentos às obras, é essencial que as crianças tenham contato com a história da localidade e saibam apreciar a arte desde novos.

O museu e galeria de arte abriu em 1885 pela primeira vez. Está localizado em um edifício que é marco da cidade de Birmingham. Nele há mais de 40 galerias para explorar, entre as quais a arte aplicada, história social, arquelogia e etnografia. Segundo dados do museu, possui a maior coleção pré-rafaelita do mundo. Que entre outras coisas se dedicavam principalmente à pintura. O dito grupo, organizado como uma confraria medieval, surgiu como reação à arte acadêmica inglesa, que seguia os moldes dos artistas clássicos do Renascimento.

É possível, descobrir a fascinante história do Staffordshire Hoard, o maior tesouro de ouro anglo-saxão já encontrado, também há as coleções de história de Birmingham  e que é apresentada em sua proeminente galeria “Birmingham: sua gente, sua história”, e abrange a maioria do 3 º andar. E, finalmente, você também pode ver arte e objetos abrangendo sete séculos de história europeia e mundial e da cultura. Isso inclui gregos e romanos e Egito Antigo.

O horário de funcionamento geralmente é das 10h às 17h.

Mais informações: Museu e Art Gallery

Entrada:  entrada gratuita todos os dias.

Endereço: Chamberlain Square, Birmingham B3 3DH, Reino Unido.

Aqui escolhi alguns museus interessantes que encontramos nas nossas andanças, é bem verdade que depende do gosto e afinidade de cada um. Espero que tenha passado de maneira singela esses locais que servem de referência para a cultura mundial. Não perca informações sobre os museus na América Latina. Em breve mais um post, não deixe de acompanhar.

– Não deixe de reservar a sua viagem com nossos links parceiros como o Rail Europe, Hostelclub, Booking, Rentcars e o Weplannpois além de garantir menor preço e qualidade, o blog continua oferecendo conteúdo exclusivo e original.

– Reserve também seu hotel pelo Booking.com, site com o melhor preço, com diversos hotéis pelo mundo e com a opção de cancelamento gratuito.

– Alugue seu carro na Europa, Brasil e América Latina com a Rentcars.

Rail Europe - O melhor lugar para sua viagem de trem

Booking.com

Leia também:

Previous Post Next Post

22 Comments

  • Reply Luciana de Campos Assis

    Que banho de história! Adorei seu post e fiquei enlouquecida para conhecer o Museu do Levante de em Varsóvia. Show!

    21 de janeiro de 2017 at 18:37
    • Reply Fernanda Santos

      Olá, Luciana, obrigada por comentar! O Museu do Levante junto com o cemitério judeu são os pontos que devem ser conhecidos em Varsóvia. Há vários locais emblemáticos na cidade que mostram a luta por liberdade dos poloneses. Adorei a cidade!

      23 de janeiro de 2017 at 11:30
  • Reply Maíra

    Lista ótima! Adoro museus e sempre tento ir no máximo deles que consigo. Tive a sorte de ja conhecer alguns da lista mas outros tantos ainda não. Obrigada pela inspiração! ❤

    21 de janeiro de 2017 at 22:50
    • Reply Fernanda Santos

      Oi, Maira. Tudo ok? São tantos, tive que escolher os que mais me impactaram, o da Anne Frank, do muro e do Levante mexeram com o meu emocional.É sempre bom conhecer a história do país pelos museus. Obrigada por contribuir!:)

      23 de janeiro de 2017 at 11:36
  • Reply Lucas Nascimento

    Ótima lista! Adoro história, adoro gastar horas em museu e Europa ainda não foi explorada por minha pessoa, sempre muito bom ter esses tipos de incentivo. Parabéns!!

    22 de janeiro de 2017 at 03:33
    • Reply Fernanda Santos

      Olá, Lucas!! Também sou dessas, dois museus em cada local é o suficiente para mim. Também incluirei os museus da América Latina em um próximo post, não deixe de acompanhar! 🙂

      23 de janeiro de 2017 at 11:42
  • Reply Gê Azevedo

    Eu sou alucinada com museus! Fiquei fascinada com seu post e espero um dia conhecer todos esses museus da lista.

    22 de janeiro de 2017 at 11:24
    • Reply Fernanda Santos

      Olá, Ge! Eu sou a louca dos museus também, sempre que vamos a alguma cidade, procuramos algo relacionado a ela. Não entendo como há os que não gostam desse tipo de passeio, obrigada por comentar… 🙂

      23 de janeiro de 2017 at 12:41
  • Reply Taís

    Ler esse post me faz lembrar do tanto de museu incrivel que eu ainda preciso visitar. Não conheci nenhum desses da tua lista ainda, mas espero poder conhecer um dia, um mais incrível que o outro. Depois do terror haza em budapest, eu tive que fazer um passeio mais light, acho que nao conseguiria ir direto pro do holocausto haha
    Beijos :*

    22 de janeiro de 2017 at 17:59
    • Reply Fernanda Santos

      Oi, Tais. Tudo bem? Eu te adicionei no Face rsrs, sou irmã da Flávia! Tomara que você consiga visitar alguns, são realmente impactantes. O da Anne Frank, do Levante e do Muro nos fazem pensar sobre a intransigência dos poderosos que dizimam vidas. Optei por não ir ao Haza, pois não teria estômago rsrs e, realmente, depois dele só com passeios amenos! 🙂 Valeu por comentar!

      23 de janeiro de 2017 at 11:40
  • Reply Sonia

    Esse museu da Anne Frank mexeu muito comigo. Acho que é por ter visto a tragédia pelos olhos de uma criança que ainda vivia os conflitos de ser criança. Museus são mais do que necessários! Bela lista 🙂

    22 de janeiro de 2017 at 18:35
    • Reply Fernanda Santos

      Olá, Sonia. Eu também fiquei impactada com o museu da Anne, pensar que um família ficou escondida e privada das liberdades. Os museus que mostram a realidade da guerra devem ser visitados para que valorizemos o nossos direitos, valeu por contribuir! 🙂

      23 de janeiro de 2017 at 13:09
  • Reply Susana - Viaje Comigo

    Oi! Boas escolhas de museus. E nao é facil escolher porque há muitos que valem a pena! Incríveis esse locais e alguns já visitei. Ainda fiquei com mais vontade de conhecer os de Praga e de Varsóvia. Boas sugestões. Boas viagens!

    22 de janeiro de 2017 at 21:57
    • Reply Fernanda Santos

      Olá, Susana! Realmente são muitas opções, em Praga o Museu do Kafka é excelente, não deixe de fazer o walking tour se gosta de caminhar. Também na Polônia há o cemitério dos judeus que é um ponto interessante para visitas. Boas viagens para nós!! Obrigada!!

      23 de janeiro de 2017 at 13:13
  • Reply Paula Abud

    Ainda não conheço nenhum desses museus, mas quero ter a oportunidade de visitar, ainda mais o do Louvre, que deve ser perfeito! Em São João del Rei tem um lustre que existe apenas dois no mundo: em MG e no Louvre, queria poder ver! Adorei sua seleção!
    Beijos.

    23 de janeiro de 2017 at 15:26
    • Reply Fernanda Santos

      Olá, Paula! Que interessante isso do museu em Minas, os museus aqui são ótimos. Quando fui a Ouro Preto fiquei encantada com a cidade e o museu de lá. Prepare-se quando for ao Louvre, não é exagero estar por ali o dia inteiro ou dois dias, é sensacional, imenso! Ele é um dos mais completos junto com o museu de Antropologia da Cidade do México, na minha opinião 🙂

      24 de janeiro de 2017 at 13:07
  • Reply Deisy Rodrigues

    Eu sou uma rata de museu e gostei demais das escolhas, espero um dia poder visitar todos da lista.

    24 de janeiro de 2017 at 04:23
    • Reply Fernanda Santos

      Oi, Deisy! Nós somos as loucas do museu, a Flávia sempre coloca um no roteiro, mesmo que a viagem seja curta. Eu realmente aprecio visitá-los 🙂

      24 de janeiro de 2017 at 13:24
  • Reply Edson Amorina Jr

    Quanta dica de museu legal, adorei. Nossas viagens sempre tem espaço para incluir visitas a museus, nunca pode faltar.

    24 de janeiro de 2017 at 09:48
    • Reply Fernanda Santos

      Olá, Edson! Eles são ótimos, espero que tenha oportunidade de conhecê-los. Em um próximo post, incluiremos os da América Latina. 🙂

      24 de janeiro de 2017 at 12:59
  • Reply Beneth Santana Torquato

    Não conheço um sequer dessa lista! haha Ótima lista, com dicas muito boas.

    4 de março de 2017 at 19:26
    • Reply Fernanda Santos

      Olá, Beneth! Obrigada por comentar, tente conhecer pelo menos alguns, são interessantes e baratos! 🙂

      5 de março de 2017 at 16:09

    Leave a Reply

    Loading Facebook Comments ...
    %d blogueiros gostam disto: