Follow:
Cuba Havana Mochilão América Latina Mochilão Cuba Mochilão pelo Mundo Museus Updates

Malecón, Plaza de la revolución e o Paseo del prado

Ainda sem internet em Havana, e posso dizer que isso foi algo bem legal da viagem! Parecia que estávamos perdidas em alguma ilha sem contato com o mundo exterior, ou em alguma roça ou local longínquo do interior do Brasil, lugares estes que não possuem energia elétrica ou televisão. O nosso único contato era escutar as rádios Habana e Progreso, as duas rádios do governo, era como escutar a voz do Brasil, só que não somente uma hora e sim a grade inteira! Foi legal ficar 10 dias sem contato algum com facebook, twitter e algo do gênero, acho sinceramente que os cubanos têm uma vida mais feliz e até produtiva, percebi que eles lêem muito e dão muito valor às coisas simples, isso também é algo positivo no modo como eles vivem!

Algumas fotos da Plaza de la Revolución, el Malecón, Hotel Saratoga, Plaza Central, Paseo del Prado o nosso taxista e sua bruja, e os museus da capital!

Leia também:

Previous Post Next Post

2 Comments

  • Reply viagenzinhahein

    Oi Flávia:

    Você realmente faz viagens ótimas… Cada foto linda!

    Você foi a Cayo Largo?

    Eu tenho uma amiga que viajou para Cuba, no início dos anos 90, e disse que se sentiu vigiada quando circulava pelo Centro de Havana. Você sentiu algo do gênero?

    Parece também que é meio nojenta a parte do país destinada aos estrangeiros e às personalidades cubanas conhecidas no exterior. Dizem que os jogadores da seleção de vôlei, moram em verdadeiras mansões… Procede esta informação?

    Beijo

    28 de novembro de 2014 at 22:12
  • Reply Flávia Donohoe

    Olá André! Desculpe-me pela demora! Obrigada por sempre passar por aqui e acompanhar tenho que me atualizar no seu blog e voltar a rever os meus favoritos, fiquei viajando esse mês e às vezes entrar na internet era impossível!

    Infelizmete não fui a Cayo Largo, mas pelo que ouvi falar o lugar é tipo o paraíso, bem turístico e estilo resort, bem diferente da Havana tradicional. Pra falar a verdade não me senti vigiada em momento algum, mas acredito que os próprios cubanos, são sim vigiados! Eles ficam com receio de falar sobre o governo e dar uma opinião mais embasada, o dono da nossa pousada é um cara incrível, sabe francês e inglês fluente e contava muita coisa pra gente, mas você via que certas coisas ele se sentia incomodado!

    Havana é bastante pobre e eu fiquei chocada com isso, as pessoas parecem viver felizes com o pouco que têm, mas muitas vezes eu fui parada na rua por mulheres me pedindo a roupa do corpo, além de pasta de dente e sabonetes, eu ficava com muita dó!

    A moeda é pura enganação e é caríssima, quase o preço do euro, bem por isso Havana é uma cidade caríssima, praticamente tudo é em CUC, poucas coisas são em CUP, a moeda nacional, que essa sim é barata!

    Não sei se eles moram em mansões, mas posso dizer que vi poucas casas luxuosas na cidade, só alguns hotéis, tudo lá é muito simples e sei dizer que poucos cubanos viajam ao exterior, somente alguns escolhidos, como esportistas e pessoas do governo, é uma vida muito diferente a nossa! Sinto muito compaixão pelo povo cubano e agora entendo muito melhor esse regime que de popular não tem nada!

    Abraços e logo, logo posto as curiosidades e como foi por lá! Xxx

    2 de dezembro de 2014 at 22:03
  • Leave a Reply

    Loading Facebook Comments ...
    %d blogueiros gostam disto: