Follow:
Bolívia Chacaltaya Mochilão América do Sul Mochilão América Latina Mochilão Bolívia

Chacaltaya e Valle de la Luna!


Dando uma parada nos posts sobre o Mochilão Europa, volto a falar do nosso Mochilão América do Sul que vivenciamos no mês de janeiro e fevereiro desse ano. Continuando, nesse dia passamos por dois opostos, e aí vemos o quanto a natureza é inexplicável. Depois de voltar à La Paz e ao Pirwa (hostel que ficamos) contratamos o passeio ao Chacaltaya e ao Valle de la Luna. Na verdade, esse passeio estava programado para o começo da viagem, mas como já não tinham mais vagas, fizemos o de Tiwanaku, foi até melhor, pois já estávamos aclimatadas com a altitude de Copacabana e Cusco. 

A subida do Chacaltaya é realmente surpreendente, já no microônibus com mais ou menos 25 pessoas e um guia espetacular, começamos a subida que a cada curva dava um frio na espinha, os precipícios eram aterradores e cada curva parecia que seria a última.

As fotos não chegam nem próximo do que realmente é o lugar. 
Depois da perigosíssima subida, chegamos ao refúgio, e dali só caminhando. E que caminhada!! Cada passo parecia uma maratona, e eram apenas algumas centenas de metros. O Chacaltaya é um dos muitos picos da Cordilheira dos Andes, seus incríveis 5,421 metros de altitude, dão a alcunha da pista de esqui mais alta do mundo (no momento desativada), a montanha está a mais ou menos 30 km de La Paz e dele vemos a majestosa vista do Huyana Potosí.

 

Uma das minhas fotos preferidas da viagem, a vista do segundo Cume, um dos muitos viajantes na Montanha.

Como já disse a estrada é estreita e íngrime e bem próximo a ela está o Observatório Astrofísico do Chacaltaya. Demorei 50 minutos para subir até o primeiro cume, o vento é forte e a sensação de vertigem é constante. Pensei que ia capotar montanha abaixo, mas aguentei firme até o fim, e isso porque tomei chá de coca e as pílulas de soroche. A subida para o segundo cume foi a glória, uma sensação que nunca tinha sentido na vida, estar em um pico de mais de 5 mil metros e com uma vista incrível da cidade de La Paz, além do Lago Titicaca foi realmente único e surpreendente, ao lado a vista de outro gigante, o Huayna Potosí.



O refúgio, a mais ou menos 5 mil metros de altura, subida e o Huayna Potosí.

Depois de ficar um tempo apreciando a vista e agradecendo por estar ali, desci pois sabia que o tempo estava se esgotando, assim que descia começava a nevasca, aí tentei descer o mais rápido que pude, é claro com muito cuidado, pois não queria fazer outro tipo de viagem. A nevasca ficou tão intensa que o guia ficou preocupado pelos que ainda estavam por lá. Aproveitei e descansei um pouco na lanchonete e esperamos ainda uns 30 minutos até que todos chegassem. Dali partiríamos até o Valle de la Luna no lado Sul de La Paz, próximo ao Campo de Golfe e a um dos bairros mais chiques da cidade.

 

Vista da Montanha antes de começar a subida, Primeira parada, Fernanda em sua pose clássica, + uma do Huayna.

Com roupas pesadas e vários casacos chegaríamos até o Vale com um calor de mais de 30 graus. Estávamos com 5 ou abaixo disso no Chacaltaya, no mesmo dia enfrentamos dois extremos. Coisas da Bolívia!! O Valle de la Luna é um sítio arqueológico bastante famoso e comparado ao solo lunar, 1 hora de distância do Chacaltaya, mas parecia em outro planeta, o calor além de intenso era massacrante, pois o lugar era extremamente seco. Os dois passeios foram comprados no Pirwa Hostel foram 80 bolivianos, e valem muito a pena.

Acho que esperei uns 20 minutos tomando fôlego, chegando ao primeiro cume, já na lanchonete esperando pelos demais.

No dia seguinte estávamos bem tristes, pois deixaríamos um dos lugares mais bacanas de toda a viagem, apesar da pobreza e de vários fatores, La Paz foi um dos lugares que mais gostei de conhecer, gente alegre e feliz assim como os brasileiros, mas com muito mais problemas e dificuldades que a nossa. Compramos nossas passagens para Uyuni, dali iríamos fazer o Tour pelo Salar e proximidades, outro ponto alto da viagem estava se aproximando, mas isso eu deixo para o próximo post.


A vista da estradinha “perigosa”, do alto se avistava o Lago Titicaca, pra finalizar o Valle de la Luna e suas formações rochosas.

Leia também:

Previous Post Next Post

5 Comments

  • Reply Milena F.

    A natureza tem lá os seus mistérios!!!
    Suas fotos estão lindas e essa viagem parece ter sido incrível!

    11 de setembro de 2012 at 08:51
  • Reply Gordinha do outro lado do espelho

    Sou suspeita para comentar, adoooooogo. (:

    11 de setembro de 2012 at 11:27
  • Reply lunna

    Foi realmente uma viagem emocionante, estou acompanhando seus posts sobre a China e estou encantada Milena!! Um grande abraço!!

    11 de setembro de 2012 at 21:11
  • Reply lunna

    Obrigada Tite!! Você sempre dando força com as nossas loucuras!! Beijos

    11 de setembro de 2012 at 21:12
  • Reply Anônimo

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    14 de setembro de 2012 at 21:12
  • Leave a Reply

    Loading Facebook Comments ...
    %d blogueiros gostam disto: