Follow:
Blog's Brasil Brasília Crônica Estados Unidos Lucas

A maçã, o menino e o mundo

fonte: https://visualhunt.com/f/photo/5189087055/cb5b48d85d/

fonte: Patr!c!a via Visual hunt/CCBY-NC

Eu tenho muita sorte de ter os amigos que tenho… sem eles meu mundo seria tão miserável pequeno (minhas viagens seriam Brasília – Nordeste, Nordeste – Brasília). Sempre achei que atravessar a fronteira do meu país era como cair num poço sem fundo (vocês acreditam que eu me achava indigno de conhecer outra cultura, minhas mãos suavam em pensar que eu teria que falar com um estrangeiro, parecia que, em algum momento, eu iria ofendê-lo ou cometer uma gafe bem constrangedora).

Por volta dos meus 7 anos, descobri que o irmão mais velho do meu vizinho morava nos Estados Unidos. Certa manhã, a molecada toda estava na rua reunida jogando Bete, justamente na frente da casa do vizinho o qual o irmão mais velho morava nos Estados Unidos, e estava lá de visita. “Nossa!” – pensava eu. Nunca estive tão perto de conhecer alguém vindo de um lugar (pra mim) inalcançável, de um lugar que me dava medo e fascínio ao mesmo tempo. Tudo que vinha de fora pra mim era algo extraordinário, à beira da perfeição… Então, não pensei duas vezes; corri para a minha casa, peguei a maça mais bonita, deixei-a brilhando, penteei meus cabelos rebeldes com um creme super grudento e fui pra rua tentar parecer que aqui, no Brasil, tínhamos dignidade (ou que podíamos parecer com os garotos dos filmes da Sessão da Tarde).

Vinte e três anos depois, eu consegui! Saí do meu país (por apenas alguns metros, mas saí). Atravessei a fronteira do Brasil com o Paraguai para comprar bugigangas. Não era bem o que eu imaginava… no Paraguai tudo era muito mais feio, pobre e violento que no Brasil, mas mesmo assim foi mágico.

Apenas em 2013, nos meus 32 anos, minha primeira viagem internacional de verdade iria acontecer. Eu tinha acabado de pedir férias da agência de publicidade em que eu trabalhava e meu roteiro era apenas ir para o interior do Mato Grosso (Barra do Garças) e uma praia do litoral paraense (Salinópolis), mas dois grandes e velhos amigos me convenceram a voltar mais cedo do Pará e embarcar com eles para os EUA. “Cara*&^! Que loucura! Minha primeira viagem pro exterior e logo pra Miami, Orlando e Nova Iorque”.

É isso! Era tudo o que eu imaginava e mais um pouco! Viajei, engordei, comprei um pouco, sonhei acordado, comprei mais pouco, foi o melhor dinheiro gasto da minha vida! Viciei! O mundo que eu conhecia era pequeno e cresceu e o mundo que eu tinha medo era grande e diminuiu…

Ah! Detalhe: um guarda da imigração me deu muita bronca (em inglês e espanhol) e eu cometi muitas gafes constrangedoras, mas isso são outras histórias.

Um obrigado aos amigos de viagens inesquecíveis: Plínio, Gus, Leuma, as gêmeas do meu coração Flá & Fer, Ely, Kdu e Marcus Sandes, Amandita, Gabys (e se eu esqueci alguém me perdoe ou comente).

Eu, na loja da Apple na 5ª Avenida me sentindo o pinto no lixo.

Eu, na loja da Apple, na 5ª Avenida em NYC me sentindo o pinto no lixo.

 

465884_10200778408683191_574778065_o

Quase todos meus grandes amigos de viagem…

Leia também:

Previous Post Next Post

36 Comments

  • Reply Flávia Donohoe

    Acho que me senti dessa mesma maneira quando viajei pela primeira vez, digo, não a do Paraguai, mas a dos Estados Unidos, nossa primeira vez foi para Buenos Aires e foi tão incrível que até hoje é uma das minhas cidades preferidas, obrigada por colaborar e pela sua presença aqui no Quarto de Viagem, que venham muitas viagens, crônicas e divagações..

    14 de março de 2016 at 17:45
    • Reply Lucas Siqueira

      Eu que agradeço!

      14 de março de 2016 at 19:35
  • Reply Fernanda Santos

    Lucas, bem-vindo!! Espero que você possa contribuir grandemente com os seus conhecimentos, e que não são poucos. Você é uma ótima pessoa e um amigo, vamos agitar esse blog e que venham muitas viagens! Próximo destino, Ásia 🙂

    14 de março de 2016 at 17:49
    • Reply Lucas Siqueira

      Ásia? Tenho que terminar de aprender o inglês primeiro.

      14 de março de 2016 at 19:37
  • Reply Helen Lopes (Ely)

    Gostiii… Por nada 😉

    14 de março de 2016 at 17:54
    • Reply Lucas Siqueira

      Obrigado! De nada!

      14 de março de 2016 at 19:38
  • Reply Beatriz Nuit

    Uau! Isso foi realmente lindo! Ainda não viajei para fora (dizem que sou muito nova), mas a cada história que leio ou escuto sobre conhecer o mundo, essa vontade só cresce cada vez mais. Foi realmente inspirador.

    20 de março de 2016 at 02:21
    • Reply Lucas Siqueira

      Que bom que gostou Beatriz! Olha, se você tiver condições de viajar, viaje pois em cada idade você terá uma sensação única. A vida é uma só! 😉

      20 de março de 2016 at 02:35
      • Reply Flávia Donohoe

        Sábias palavras Lucas, cada viagem e cada época têm uma sensação única!

        20 de março de 2016 at 20:13
    • Reply Flávia Donohoe

      Biaaaaaa, que linda! Saudades minha aluninha querida, espero realmente que você faça a sua primeira viagem pra fora e que seja inesquecível, no que eu puder ajudar pode contar comigo, um grande beijo!

      20 de março de 2016 at 20:11
  • Reply Wilkson

    Show de bola Lucas. Compartilho do mesmo sentimento quando diz minha primeira viagem. Um abraço.!

    26 de março de 2016 at 00:48
    • Reply Lucas Siqueira

      Obrigado primo! Acabou que nunca paramos pra conversar sobre viagens.

      26 de março de 2016 at 17:15
  • Reply Carlos Roberto e Gleidys

    Lindo texto. Vc escreve muito bem. Sabe vestir as palavras com suas emoções. Há um cronista de qualidade escondido dentro de vc.

    21 de outubro de 2016 at 12:01
    • Reply Lucas Siqueira

      CARLOS ROBERTO E GLEIDYS, assim fico envaidecido! 🙂
      Obrigado pelo elogio, me dá mais ânimo em continuar escrevendo… espero que continue lendo! Abraço!

      21 de outubro de 2016 at 12:22
  • Reply Juliano Lessa

    Texto sensacional!! Q massa Lucas! Da até vontade de pegar uma mochila e partir hahahahaha

    21 de outubro de 2016 at 13:20
    • Reply Lucas Siqueira

      Se beber não dirija; se viajar me chame! 😉

      21 de outubro de 2016 at 13:22
  • Reply Alyssa

    Lembro até hoje o quanto me senti apavorada na primeira vez a Disney, quando não entendia uma palavra de inglês! Grudei nos meus amigos a viagem inteira e achei que esse tipo de coisa não era para mim. Quando tentei de novo vicei também <3 Ficou incrível o texto, Lucas!

    21 de outubro de 2016 at 13:36
    • Reply Lucas Siqueira

      Obrigado Alyssa… essa adrenalina da primeira viagem não se repete na mesma intensidade… o bom é que fica na memória e na nossa história como uma coisa boa… (pelo menos pra mim foi, hehe)…

      21 de outubro de 2016 at 13:41
  • Reply Katarina Holanda

    Que legal, Lucas! É engraçado os sentimentos que essas coisas despertam na gente. Eu passei mil vergonhas na minha primeira viagem internacional, mas hoje acabam fazendo parte da história e acho divertido, hahaha.

    21 de outubro de 2016 at 13:58
    • Reply Lucas Siqueira

      Compartilho do mesmo sentimento karina… quero escrever um post apenas com minhas gafes (que não são poucas)… abraço!

      21 de outubro de 2016 at 15:15
  • Reply Ana Carolina Miranda

    Flávia, acho que nunca nos esqueceremos nossa primeira viagem internacional. Também fiz a minha depois de adulta e nem tenho palavras para descrever o tanto como gostei!Temos que acreditar nos nossos sonhos…

    21 de outubro de 2016 at 23:44
    • Reply Flávia Donohoe

      Oi Ana, até hoje tenho a primeira viagem na memória, é algo realmente difícil de se esquecer! 💕

      25 de outubro de 2016 at 09:56
  • Reply Itamar Japa

    Uma vez mordido pelo bichinho da viagem, você vicia e não para mais! heheh! Minha primeira viagem internacional foi pra Buenos Aires, assim como a Flávia, e também foi mágico! Mas, viajar sempre mantém aquele espirito de “primeira vez” seja pra onde for… isso que é o legal!

    22 de outubro de 2016 at 13:29
    • Reply Lucas Siqueira

      Eu assumo: sou viciado, só falta o dinheiro! 😂

      22 de outubro de 2016 at 16:47
    • Reply Flávia Donohoe

      Buenos Aires 💕💕

      16 de novembro de 2016 at 21:34
  • Reply Alessandra Maróstica de Freitas

    Viajei no tempo enquanto lia seu post. Minha primeira viagem internacional foi para o México. Lembrei de coisas engraçadas, medo da imigração, curiosidades. É muito bom ter histórias para contar!

    22 de outubro de 2016 at 16:15
    • Reply Lucas Siqueira

      Alessandra, em breve vou fazer um post só sobre perrengues e gafes… hehe… obrigado pela visita…

      22 de outubro de 2016 at 16:45
  • Reply Adriana Magalhães Alves de Melo

    É sempre legal lembrar como fomos picados pela mosca viajadora, né?
    Jogar bete na rua, bem a cara da minha infância em Brasília.

    22 de outubro de 2016 at 21:33
    • Reply Lucas Siqueira

      Verdade Adriana, viajar é viciante… e bons tempos de quando vivíamos na rua das 8h às 20h sem nos preocuparmos com violência… eram só brincadeiras…

      23 de outubro de 2016 at 13:27
  • Reply Deisy Rosrigues

    Que texto legal, bom pra refletir sobre a nossa jornada de viajantes.

    22 de outubro de 2016 at 22:31
    • Reply Lucas Siqueira

      Obrigado Deisy, volte sempre e viaje sempre também!

      23 de outubro de 2016 at 13:23
  • Reply Naiara Back

    Sua definição de “mágico” para o Paraguai me deixou com um pingo de esperança de ver esse país, além das compras 😊

    23 de outubro de 2016 at 14:39
    • Reply Lucas Siqueira

      Ah! Sim… foi mágico… mas confesso que o que mais gostei foi as compras… porém, todo lugar novo tem o seu encanto… o Paraguai foi um pouco mais pitoresco… seguranças nas portas das lojas armados com pistolas… carros e motos sem placas… o fato deu entender o que me diziam em espanhol e eles não entenderem meu português… gasolina muito barata… achei inusitado também o fato do lado brasileiro estar bem mais arrumadinho que o paraguaio…

      23 de outubro de 2016 at 17:16
  • Reply Edson Amorina Jr

    Gostei bastante do texto! Parabéns. Foi gostoso de relembrar contigo minhas primeiras viagens.

    24 de outubro de 2016 at 20:12
    • Reply Flávia Donohoe

      sim, faz a gente refletir como somos sortudos em viajar! 💕

      25 de outubro de 2016 at 09:57
    • Reply Lucas Siqueira

      Que bom Edson! Obrigado por comentar e viajar nas suas lembranças… espero que tenha sido bom! Volte sempre!

      25 de outubro de 2016 at 19:52

    Leave a Reply

    Loading Facebook Comments ...
    %d blogueiros gostam disto: